domingo, 22 de outubro de 2017

Por que está sendo erguida uma muralha de árvores no meio de África?

Onze países da África estão erguendo uma verdadeira muralha de árvores que se estende de leste a oeste e alcança 8 mil quilômetros de comprimento e 15 quilômetros de largura. A intenção do enorme cinturão verde é diminuir os impactos das mudanças climáticas, mitigar o processo de expansão do deserto do Saara e, de quebra, gerar renda para os habitantes de uma das regiões mais pobres do globo.


O Senegal, até o momento, é a nação mais empenhada no projeto: já foram plantadas mais de 11 milhões de mudas por lá. O país tem experimentado mudanças climáticas abruptas desde o início do século, com tempestades de areia jamais vistas, diminuição da chuva e avanço do deserto do Saara sobre áreas de cultivo de alimentos.



A “Grande Muralha de Árvores”, em amarelo, se estende do Senegal ao Djibouti

Os líderes dos países dessa região, conhecida como Sahel, enxergam no plantio de árvores uma forma de impedir o avanço do processo de desertificação. Antes, o vento escavava e desgastava o solo, diminuindo as já diminutas reservas de água. Agora, as raízes das árvores mantêm o elemento natural no solo, fazendo com que os poços que estavam secos voltem a encher.

O grande cinturão verde começou a ser levado a cabo em 2007 e tem custo estimado de US$ 8 bilhões — cerca de R$ 25 bilhões, na cotação atual. Mais do que erguer uma grande barreira de árvores em volta de um dos maiores desertos da Terra, o projeto beneficia a população da África subsariana com geração de empregos e a possibilidade de produzir diversas culturas de alimentos.

Fonte: Mega Curioso.

sábado, 21 de outubro de 2017

Designação MG 2018 - RESOLUÇÃO SEE Nº 3.643, DE 20 DE OUTUBRO DE 2017

RESOLUÇÃO SEE Nº 3.643, DE 20 DE OUTUBRO DE 2017. Dispõe sobre critérios e define procedimentos para inscrição e classificação de candidatos à designação para o exercício de função pública na Rede Estadual de Ensino da Secretaria de Estado de Educação, em 2018.

DA INSCRIÇÃO Art. 6º – O candidato deverá efetuar sua inscrição pela Internet, no endereço eletrônico www.designaeducacao.mg.gov.br que terá início às 10h do dia 25 de outubro de 2017 e será encerrada às 23h59m do dia 10 de novembro de 2017.


Quer saber mais?
Confira no site da Imprensa Oficial de Minas Gerais - IOMG a Resolução SEE Nº 3.643, de 20 de Outubro de 2017.

Resolução SEE Nº 3.643, de 20 de Outubro de 2017 - Completa

Página 24

Página 25

Página 26

Página 27

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Redação do Enem que desrespeitar direitos humanos pode receber nota zero

Entre as regras a serem seguidas pelos candidatos que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na elaboração da prova de redação está o respeito aos direitos humanos. Quem defender ideias avaliadas como contrárias aos direitos humanos poderá receber nota zero na redação.

De acordo com a Cartilha do Participante – Redação no Enem 2017, divulgada hoje (16) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), algumas ideias e ações serão sempre avaliadas como contrárias aos direitos humanos, como: defesa de tortura, mutilação, execução sumária e qualquer forma de “justiça com as próprias mãos”, isto é, sem a intervenção de instituições sociais devidamente autorizadas.

Também ferem os direitos humanos, a incitação a qualquer tipo de violência motivada por questões de raça, etnia, gênero, credo, condição física, origem geográfica ou socioeconômica e a explicitação de qualquer forma de discurso de ódio voltado contra grupos sociais específicos. Segundo o Inep, apesar de a referência aos direitos humanos ocorrer apenas em uma das cinco competências avaliadas, a menção ou a apologia a tais ideias, em qualquer parte do texto, pode anular a prova.

No ano passado, quando o tema da redação foi “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”, foram anuladas as redações que feriram os direitos humanos porque incitaram ideias de violência ou de perseguição contra seguidores de qualquer religião, filosofia, doutrina, seita, inclusive o ateísmo ou quaisquer outras manifestações religiosas, além de ideias de cerceamento da liberdade de ter ou adotar religião ou crença e que tenham defendido a destruição de vidas, imagens, roupas e objetos ritualísticos.

De acordo com o Inep, a prova de redação do Enem sempre exigiu que o participante respeite os direitos humanos, mas, desde 2013, o edital do exame tornou obrigatório o respeito ao tema, sob pena de a redação receber nota zero.

A prova de redação, que será aplicada no dia 5 de novembro, exige a produção de um texto em prosa, do tipo dissertativo-argumentativo, sobre um tema de ordem social, científica, cultural ou política. O candidato deve apresentar uma proposta de solução para o problema proposto, a chamada intervenção, respeitando os direitos humanos Também deve ser apresentada uma referência textual sobre o tema.

7 fatos científicos que provam que a Terra NÃO é plana

Centenas de anos a.C. o formato do nosso planeta já foi provado, mas tem gente que insiste em acreditar no contrário.
Por mais que o ser humano já saiba que a Terra é redonda há centenas de anos, algumas pessoas ainda aparentam mostrar dúvidas sobre a questão. Por isso separamos sete fatos científicos que vão te ajudar a convencer aquele colega que não tem tanta certeza sobre o formato do nosso planeta, de que ele não é — e não pode ser — plano.

Observe um barco
Quando um barco desaparece no horizonte ele não vai ficando menor e menor até não conseguimos vê-lo. Na realidade, o que ocorre é que partes da estrutura vão sumindo antes das outras: primeiro o casco da embarcação e só no fim a ponta da vela.

Isso ocorre justamente porque a Terra é redonda. Para compreender melhor, basta utilizar um binóculo ou telescópio para observar o horizonte na sua próxima ida à praia.

Olhe para as estrelas
Aristóteles descobriu esse fato cerca de 350 anos antes de Cristo e nada mudou desde então. Diferentes constelações são visíveis de diferentes latitudes. Provavelmente, os dois exemplos mais marcantes são o Big Dipper e a Southern Cross. O Big Dipper, um conjunto de sete estrelas que se parece com uma concha, é sempre visível em latitudes de 41 graus Norte ou superior, mas não abaixo de 25 graus sul.

Essas diferentes visões só fazem sentido se você imaginar a Terra como um globo, de modo que olhar "para cima" realmente significa olhar para uma faixa de espaço diferente do hemisfério sul ou norte.

Assista um eclipse
Aristóteles também provou sua teoria com a observação de que, durante os eclipses lunares, a sombra da Terra na face do Sol é curvada. Uma vez que esta forma curva existe durante todos esses fenômenos, apesar do fato de que o planeta está girando, o filósofo intuiu corretamente a partir da penumbra que a Terra é curvilínea por toda parte — em outras palavras, uma esfera.

Escale uma árvore
Se a Terra fosse plana, seria possível enxergar tudo independente de onde você está, mas, ao contrário disso, quanto mais altos estamos mais podemos visualizar. Um bom exemplo são as estrelas: podemos vê-las, mesmo elas estando milhares de quilômetros distantes. Ao olhar para os lados de Salvador, por exemplo, não é possível ver as luzes de Belo Horizonte, que está a uma distância bem menor do que estamos dos astros. A explicação? A Terra é esférica.

Faça uma viagem ao redor do mundo
Se você tiver a sorte de ter uma visão desobstruída do horizonte e um voo comercial suficientemente alto, você pode até mesmo descobrir a curvatura da Terra a olho nu. De acordo com um artigo de 2008 na revista Applied Optics, a curva da Terra torna-se sutilmente visível a uma altitude de cerca de 35,000 pés, desde que o observador tenha pelo menos um campo de visão de 60 graus (o que pode ser difícil a partir de uma janela do avião do passageiro).

A curvatura torna-se mais visível acima de 50.000 pés. Os passageiros de um jato supersônico, por exemplo, tem uma visão do horizonte curvo enquanto voam a 60 mil pés.

Compre um balão meteorológico
Em janeiro de 2017, estudantes da Universidade de Leicester, no Reino Unido, amarraram algumas câmeras em um balão meteorológico e enviaram-no para o céu. O balão subiu 77,429 pés (23,6 quilômetros) acima da superfície, bem mais que o nível necessário para ver as curvas do planeta. O instrumento a bordo do balão enviou imagens deslumbrantes que mostram a curva do horizonte.

Compara sombras
A primeira pessoa a estimar a circunferência da Terra foi um matemático grego chamado Eratóstenes, que nasceu em 276 a. C. Ele fez isso comparando os tamanhos de sombras no dia do solstício de verão onde hoje fica Assuão, no Egito, com uma cidade mais a leste de Alexandria. Ao meio dia, quando o sol estava diretamente sobre a cabeça em Assuão, não havia penumbra, entretanto, uma vara colocada no chão da outra cidade lançou uma sombra.

Em uma Terra plana, não haveria nenhuma diferença entre o comprimento das sombras. A posição do sol seria a mesma, em relação ao solo. Apenas um planeta em forma de globo explica por que a posição do sol deve ser diferente em duas cidades a poucas milhas de distância.

Fonte: Galileu (Com informações de LiveScience.)

Os dez vilarejos mais bonitos da Alemanha

Um site de viagens comparou mil lugarejos alemães no Instagram e elaborou um ranking segundo o número de citações em hashtags. Confira.
Norderney
#1 Norderney, uma ilha no Mar do Norte com pouco mais de 5 mil habitantes, ficou em primeiro lugar no ranking de hashtags no Instagram, com mais de 97 mil citações.

Fehmarn
#2 Fehmarn A terceira maior ilha da Alemanha, localizada no Mar Báltico, na costa do estado de Schleswig-Holstein, por pouco não ficou em primeiro lugar. Ela aparece com 96 mil hashtags no ranking do site de viagens Travelcircus.

Füssen, nos Alpes
#3 Füssen, nos Alpes Este romântico lugarejo no sul da Alemanha tem 84 mil citações no Instagram. Füssen, de 14 mil habitantes, é um famoso centro turístico não só pelo belo centro histórico (foto), mas também pelo castelo Neuschwanstein.

Winterberg
#4 Winterberg A região montanhosa em torno da pequena Winterberg faz jus ao nome (Winterberg quer dizer "montanha de inverno", em alemão), por isso é mais conhecida no inverno, como estação de esqui. Mas, graças a um parque para competições de ciclismo, ela atrai também no verão, especialmente muitos amadores e profissionais de mountain-bike. Isso lhe valeu 75 mil referências em hashtags no Instagram.

Borkum
#5 Borkum Com 30 quilômetros quadrados, Borkum é a maior das sete ilhas habitadas da Frísia Oriental, no norte da Alemanha. Ela ficou em quinto lugar no ranking, com 49 mil referências. Na foto, uma cabine de salva-vidas junto à praia.

Rothenburg no Tauber
#6 Rothenburg no Tauber A cidade conhecida pelo seu centro histórico e muro medievais fica na Baviera. A sexta colocada no ranking aparece 43 mil vezes como #rothenburgobdertauber. Mas, se a busca for por apenas #rothenburg, ela salta para 91 mil menções, o que bem que poderia valer a primeira posição.

Cochem
#7 Cochem Esta cidadezinha milenar junto ao rio Mosela aparece 38 mil vezes "hashtageada" no Instagram. Uma de suas principais atrações é o castelo Reichsburg (foto).

Kühlungsborn
#8 Kühlungsborn Embora tenha apenas 16 quilômetros quadrados e pouco mais de 7 mil habitantes, a cidade balneária Kühlungsborn, junto ao Mar Báltico, aparece 37 mil vezes.

Meersburg
#9 Meersburg A referência ao vilarejo de Meersburg, que tem mais de 5 mil habitantes, aparece 34 mil vezes. Também pudera, a idílica cidade fica às margens do Lago de Constança, no sul da Alemanha.

Heiligenhafen
#10 Heiligenhafen Em décimo lugar, com 28 mil hashtags, aparece Heiligenhafen, uma. estância balneária na costa do Mar Báltico, com 9 mil habitantes. Uma de suas atrações é a ponte (foto) de 400 metros de comprimento mar adentro.

Fonte: DW (Brasil).